7 dicas para economizar em sua viagem pela Europa




Viajar pelo mundo é muito gostoso, mas existem destinos mais baratos e outros mais caros. Uma viagem pela Europa por exemplo, seja pela cotação de suas moedas, como pela alta valorização dos hotéis em suas principais cidades, pode se tornar um pouco mais caro que o previsto para nós brasileiros.


Diferentemente dos Estados Unidos, onde a moeda vale mais, mas em linha geral se economiza bastante em uma viagem, a Europa possui grandes atrativos, mas você precisa ir preparado para não gastar dinheiro à toa, saber onde economizar é fundamental para voltar do velho continente com uma boa experiência e muitas histórias agradáveis para contar.







É certo que quem converte não se diverte, mas vamos no dia de hoje tentar lhe ajudar a gastar menos em suas viagens para a Europa.








1) Não tenha medo de pechinchar


Evidentemente você não vai brigar com o vendedor para conseguir um preço melhor em uma loja de grife na Europa, mas essa dica é muito válida para os mercados locais, as feirinhas, os vendedores de lojas de lembranças.


Conseguir um desconto é possível inclusive num passeio, como os passeios de gôndola em Veneza, tudo é uma questão de negociar.


Muitos lugares na Europa vivem do turismo e você têm o poder, você têm o dinheiro, eles querem seu dinheiro, com isso são abertos à negociação. Não seja agressivo, não seja desagradável, coloque um sorriso no rosto e pechinche, o pior que pode acontecer é você não conseguir o desconto e não comprar o produto, mas quem não arrisca não petisca.








2) Viaje de trem


O maior benefício de viajar de trem é sua garantia de preço fixo, o que pode ser mais conveniente do que pagar somente um ticket e viajar por todo o continente?


Sim, isso é possível e se chama Eurail Pass, um passe que lhe dá direito a escolher os países em que ele será válido, ou também, valer para toda a Europa Ocidental.


Além de ser a forma mais européia de viajar, o trem oferece muitas vantagens sobre outros meios de transporte, como por exemplo, a tolerância com bagagens, sem a necessidade de se enquadrar em um peso específico.


Você também consegue escolher a opção “hop-on / hop-off”, que lhe dá o direito de descer de qualquer trem e pegar o próximo, fazendo sua experiência pela Europa muito mais livre, para quem adora viajar de mochila nas costas é muito conveniente.


Muitos ainda se aventuram a viajar de trem durante a noite, dessa forma conseguem economizar uma noite de hotel, a dica é muito válida e milhares de pessoas aplicam com sucesso. Deixe o preconceito de lado e guarde seu dinheiro para coisas mais interessantes do que uma cama de hotel e uma ducha quente.

Só não esqueça de comprar os tickets Eurail Pass com antecedência pois eles são enviados ao Brasil, não há como comprá-los no destino.








3) A Europa é bela, viaje sem pagar entradas



É indiscutível que visitar o Louvre, o British Museum, o Museu do Vaticano e tantos outros pontos de interesse ofereça uma experiência incrível, porém, se seu assunto é orçamento curto, saiba que a Europa é um continente muito belo e você não precisará gastar dinheiro com entradas para aproveitar ao máximo sua viagem.

Aproveite para conhecer as inúmeras construções milenares, caminhar pelas ruas européias é estar pisando sobre a cultura, sobre a história. Ver todas as estátuas, obras de arte e monumentos espalhados pelas cidades já lhe dará um grande panorama da beleza e riqueza cultural dos destinos.


A Europa é muito mais do que “pagar para ver”, você pode passear e se sentir na época que quiser imaginar, entrando nas Igrejas construídas há quase mil anos atrás, visitas as praças belíssimas, sempre cheias de vida.

Lembre-se que você pode ver a Torre Eiffel sem precisar pagar para subir ao topo, ver a torre é grátis, observar o tempo que desejar é grátis, sentar-se no parque para fazer um pique-nique continua sendo grátis. Pagar para ver Paris de cima é bacana, mas muito caro não é essencial.

Saiba também que você consegue entrar na torre sem pagar até o andar do restaurante, aproveite estas oportunidades e não pense que estará deixando de conhecer, você está aproveitando seu orçamento da forma mais inteligente.

O exemplo de Paris foi aleatório, mas o mesmo se aplica a tantos outros pontos turísticos da Europa, você não precisa propriamente pagar para conhecer a Europa, a maioria das cidades possui um centro histórico e somente o fato de caminhar por estas ruas e ruelas já é o suficiente para absorver o valor da cultura e história européia.








4) Economize com museus


Se você dá muito valor à história e deseja conhecê-la com profundidade, claro que não há nada melhor que visitar um museu como o Louvre, como o museu da História Natural de Londres, ou conhecer as coleções dos Papas no Museu do Vaticano.

A Europa possui estes e tantos outros museus com objetos únicos e valiosos, se você não abre mão de visitar um deles, hoje é seu dia de sorte, existem museus famosos que abrem as portas gratuitamente.

Cada museu tem sua política em relação às entradas gratuitas, mas normalmente todos funcionam com um dia (ou noite) gratuito no mês, uma oportunidade para os locais conhecerem suas riquezas, mas que qualquer turista pode aproveitar também.


O Louvre, por exemplo, oferece entrada gratuita todo primeiro domingo do mês. Claro, o museu estará cheio, mas você terá a oportunidade de conhecer a tão sonhada “Monalisa” sem gastar nenhum tostão.








5) Não tome café da manhã no hotel


Essa dica é muito interessante, se seu hotel não inclui o café da manhã, evite ao máximo consumir o serviço super faturado que eles oferecem.

A melhor forma de tomar café da manhã, gastando pouco, é procurar um local onde o preço foi feito para os habitantes locais, tente encontrar uma padaria ou algum bar que ofereça esse serviço.

É comum ouvir dos brasileiros que durante viagens é importante comer muito no café da manhã para economizar nas outras refeições, tudo bem, em muitos destinos a afirmação é correta, porém, se você estiver fazendo uma viagem à Europa, em hotéis que não oferecem o café da manhã incluso, fuja disso, é cilada.







6) Saia da área de turistas



Se você realmente quer conhecer a Europa, precisa sair da zona de conforto e dar um passo além daquele tradicional. Você precisa sair da área preparada exclusivamente para turistas, você precisa conhecer os restaurantes para italianos na Itália, franceses na França e alemães na Alemanha, você precisa sair da caixa e conhecer as delícias locais por preços justos.


É claro que um romano não janta nem almoça no centro histórico de Roma, onde os preços podem fugir do bolso até de pessoas ricas.

Essa é a diferença de sentar num restaurante para locais e um para turistas, é claro que o centro histórico de Roma é belíssimo, mas você precisa realmente sentar para jantar ali se seu objetivo é economizar dinheiro?


Saia um pouco da área dos turistas e encontrará um mundo de oportunidades, as pessoas voltam de uma viagem sempre falando que “era tudo caro”, mas não se deram ao trabalho de entender que somente frequentaram restaurantes e locais para turistas.


Dicas para identificar um restaurante caro:


· Cardápio em inglês;


· Muito próximo de pontos turísticos;


· Muitos turistas lá dentro;



Isso é bem simples, básico, mas as pessoas não pensam quando estão viajando, por essa razão quero recomendar que você procure melhores oportunidades, todos podemos viajar, independente de orçamento, o importante é ter foco e ser objetivo para conseguir realizar uma viagem com orçamento limitado.









7) Tenha um foco



Muitos turistas quando viajam para a Europa por primeira vez, consideram que tudo é muito próximo e fazem de sua viagem um “girão” pelos principais países europeus, essa não é a forma mais econômica de viajar pelo velho continente, quando se viaja para lá, o importante é ter um foco.


É importante saber que quando se viaja à Europa devemos focar-nos em um país ou região em profundidade, ao invés de rebotar de país em país.

Entenda essa dica como um conselho de economia, mas também serve para conhecer melhor os lugares, é bem mais valioso fazer uma viagem de uma semana a Paris, do que tentar conhecer em 12 dias Paris, Londres, Bruxelas, Roma, Milão, Veneza, Barcelona e Lisboa.


O que você consegue com esse tipo de viagem, onde se tem muitos lugares em seu itinerário, é gastar mais dinheiro em passagens e muito tempo sentado, com seu tempo curto você não terá como sair da área delimitada para turistas e acabará gastando muito mais em comidas, bebidas, atrativos e souvenirs.


A proposta aqui é experimentar o que se chama “Slow Travel”, onde o turista se foca em conhecer com profundidade uma determinada região, podendo sentir-se como local por um período de tempo, vivendo o dia-a-dia e desfrutando de todos os atrativos do destino, podendo experimentar a cultura local.


É mais proveitoso conhecer um lugar de forma profunda do que ver muitos locais de forma totalmente superficial, e essa escolha afeta diretamente seu bolso.



É muito diferente “ver” de “conhecer”, nestas viagens curtas que incluem muitos destinos realmente se desperdiça muito dinheiro.











Espero que tenham gostado das dicas. Fiquem ligados em nossas outras matérias, tenho certeza que alguma delas poderão lhe ser úteis em suas viagens.

Solicitar um Orçamento

Vem Viajar

Grupo Vem Viajar.com - Europa Travel - Conexão Disney.

A mais de 20 anos no mercado, acesse nosso site e confira nossos roteiros!

Nenhum comentário:

Postar um comentário